Top de autores

Lunes 25 de septiembre 2017   BUSQUEDA
   
   
Palencia Tejedor Camilo, Azuaje Gonzales Ruth, Barrios Benedeti Oscar, Ayala Hernandez José, Oberto Machado Carlos, Salazar Estefano Florangel.
Relação entre parâmetros de monitorização ambulatorial de pressão arterial e o índice ambulatorial de rigidez arterial
Rev Cien y Cuid 2017; 14(1)  : 9-22

Completo
 

Objetivo: analisar a relação existente entre os parâmetros de avaliação da monitorização ambulatorial de pressão arterial (pressão arterial, variabilidade, pressão de pulso, carga e padrão) e o índice ambulatorial de rigidez arterial, de um hospital de quarto nível na cidade de Caracas, Venezuela. Materiais e Métodos: realizou-se um estudo observacional retrospectivo, com uma amostra significativa de 179 pacientes registrados na base dados de monitorização ambulatorial de pressão arterial, na consulta cardiometabólica de um hospital, no período compreendido entre junho a dezembro de 2014. Resultados: analisaram-se as monitorizações ambulatoriais de pressão arterial de 179 pacientes em 24 horas, com idade média de 55 ± 16 anos, dos quais o 36,3 % era de sexo masculino e o 87,0 % feminino, com um índice ambulatorial de rigidez arterial médio de 0,43 ± 0,17 e se utilizou a correlação de Pearson, com a pressão de pulso r = 0,50 p <0,001, com a idade r = 0,42 p <0,001, a pressão arterial sistólica r = 0,24 p = 0,001, a carga r = 0,20 p = 0,007. Conclusão: encontrou-se correlação positiva entre o índice ambulatorial de rigidez arterial e os parâmetros de avaliação do índice ambulatorial de rigidez arterial, evidenciando que a rigidez ambulatorial arterial é uma medida fácil de obter, que tem boa relação com fatores de risco conhecidos e pode ser contemplada como parâmetro de controle e seguimento cardiovascular.


Palabras clave: monitorização ambulatorial, pressão arterial, rigidez arterial
Este artículo ha sido visitado 40 veces.
   
Enero-Junio
Números anteriores

 

Urge tu vital apoyo

Indice

Lo más leído