Top de autores

Lunes 22 de enero 2018   BUSQUEDA
   
   
Sbardellotto Mariano da Costa Élide, Hyeda  Adriano, Cesario Pereira Maluf Eliane Mara.
A relação entre o suporte organizacional no trabalho e o risco para doenças crônicas não transmissíveis em um serviço de saúde
Revista Bras. Med. Trab. 2017; 15(2)  : 134-141

Resumen
 

Contexto: Conhecer a relação entre o suporte organizacional e as doenças crônicas e seus fatores de risco pode contribuir no planejamento ações de prevenção e promoção à saúde integral dos trabalhadores.

Objetivo: Avaliar a relação entre o suporte organizacional percebido (SOP) e os fatores de risco para as doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) em um serviço de saúde. Métodos: Estudo transversal, observacional e descritivo, com delineamento correlacional e abordagem quantitativa, através de dados de um questionário de autopreenchimento.

Resultados: A taxa de participação da pesquisa foi de 80,24%, com média etária de 36,9 anos, 52,3% com contrato de trabalho por tempo determinado, 38,5% em turno noturno e 69,3% com trabalho exclusivo no serviço. Os riscos mais prevalentes para as DCNT foram hipertensão arterial sistêmica (29,2%), tabagismo (13,8%), sedentarismo (73,8%), dislipidemia (29,2%) e mais de um fator de risco associado (61,6%). O SOP na população estudada foi favorável, principalmente devido ao salário e às relações sociais no trabalho. Não houve relação significativa do SOP, mais de um emprego, turno noturno ou contratação temporária com os riscos para DCNT.

Conclusão: O suporte organizacional percebido não aumentou ou reduziu o risco para as DCNT na população estudada.


Palabras clave: Saúde do trabalhador, política organizacional, doença crônica.
Este artículo ha sido visitado 35 veces.
   
Julio-Diciembre
Números anteriores

 

Urge tu vital apoyo

Indice

Lo más leído